Categoria: ,

Prevista para este mês, conclusão de obra na Beira Mar fica para fim do ano

Em janeiro, a Prefeitura havia anunciado previsão de conclusão para junho deste ano. Secretaria de Infraestrutura alega que a pandemia acrescentou dificuldades ao processo

Obras na  avenida Beira Mar na área da feirinha, próximo ao Náutico (Foto: Thais Mesquita)
Foto: Thais Mesquita

A Beira Mar de Fortaleza deve seguir em obras até o fim do segundo semestre de 2021. Apesar de boa parte do espaço já estar disponível para uso da população, itens como tapumes e máquinas pesadas, além de grandes montes de areia, ainda fazem parte do cenário de um dos principais pontos turísticos da Capital.

Com 93% de execução das obras na região, a intervenção no local registrou um avanço de 3% entre janeiro de 2021 e o atual mês de junho. No início deste ano, a Prefeitura de Fortaleza tinha a expectativa de que o serviço seria concluído ainda neste mês, entretanto, o secretário de infraestrutura do Município, Samuel Dias, informa que complicações durante o período pandêmico foram responsáveis por uma alteração na data prevista.

“Essa pandemia, o isolamento social, trouxeram uma dificuldade maior para a conclusão das obras, principalmente pela capacidade dos fornecedores de materiais para obras civis de forma geral. Essas dificuldades estão sendo encontradas em todas as obras, sejam elas públicas ou privadas, todas estão tendo dificuldade com fornecimentos”, explica o secretário.

O titular da secretaria da Infraestrutura do Município explica, ainda, que a obra realizada na Beira Mar possui outras peculiaridades que acabam tornando o processo de finalização mais lento. Segundo o secretário, no momento, intervenções de acabamento estão sendo realizadas nos quiosques do calçadão.

“Essas obras, de finalização dos quiosques, são mais complexas porque a Beira Mar não é uma obra em que se pode fechar o espaço completamente, trabalhar e depois entregar ela pronta. Ela tem que ser executada com o trânsito de pessoas, convivendo com o movimento da Cidade, que acontece naquele local e é muito intenso. Isso causa alguns atrasos na obra”, relata.

Quem depende da Beira Mar

O atraso na conclusão das intervenções realizadas na orla de Fortaleza traz transtornos para aqueles que dependem da movimentação do local para conseguirem o sustento. Mesmo lamentando o tempo de execução da obra, Célia Dias, 62, que trabalha há dez anos como ambulante no calçadão, acredita nos bons frutos após a mudança, mas pede pressa.

“Todo dia estou aqui. Eu tenho achado muito devagar. Acredito que tem atrapalhado um pouco a movimentação por aqui. No final vale a pena, porque vai ficar tudo bonito, mas tem que andar mais rápido”, relata Célia.

A psicóloga Alexia Giffoni, 25, destaca os benefícios que a requalificação deverá trazer ao local, mas também deixa a sua insatisfação com a demora para a conclusão do processo.

“Vai ter mais espaço para caminhar e pedalar. Com os novos estacionamentos, facilitou o acesso, já que antes tínhamos que estacionar nas ruas laterais, o que é um pouco perigoso para chegar ao calçadão. Mas acho que está demorando. Faz muito tempo que sempre vejo máquinas por lá e ainda não está pronto”, relata.

Infraestrutura

 De acordo com a Prefeitura, o projeto do novo aterro trouxe a ampliação do calçadão, além da instalação de equipamentos de esportes e lazer no calçadão. Uma nova via paisagística com ciclovia também foi construída no local. A criação de 350 vagas de estacionamento busca garantir mais comodidade e segurança para os moradores e turistas.

Faltando apenas 7% de conclusão das obras, outra mudança que já pode ser observada no local é o piso intertravado, feito de blocos de concreto, que já substitui a antiga pista de asfalto da avenida.

No momento, as obras estão concentradas no local em que ficava a antiga feirinha da Beira Mar, trecho localizado próximo ao acesso da Desembargador Moreira. 707 boxes comerciais para a feirinha, além de um skatepark, farão parte da nova estrutura do local.

“O que falta concluir são os últimos acabamentos dos quiosques de comercialização para que eles possam ser entregues aos permissionários. Temos a previsão de que as obras da nova feirinha da Beira Mar vão ser entregues até o final deste ano, isso incluiria também os quiosques que estão sendo finalizados agora. Ou seja, a nossa previsão é de que a Beira Mar como um todo possa ser completamente concluída até o final do segundo semestre desse ano, ou início do próximo ano”, explica o secretário de infraestrutura Samuel Dias.

Beira Mar tem 144 câmeras de videomonitoramento

A avenida Beira Mar passou a contar com um reforço na segurança do local, isso porque 144 câmeras de segurança foram instaladas ao longo da via. De acordo com a Secretaria Municipal da Segurança Cidadã (Sesec), o trecho contemplado com os equipamentos fica entre a Ponte do Ingleses e o Mercado dos Peixes.

Segundo o levantamento da Sesec, a capital cearense conta com um sistema integrado que possui mais de 550 câmeras que são monitoradas 24 horas por dia por agentes da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF).

Bairros como Jangurussu, Goiabeiras, Barra do Ceará, Caça e Pesca, Vila Velha, Canindezinho, Por do Sol, Panamericano, Mondubim, Bonsucesso, Vicente Pinzon e Lagoinha já contam com o sistema implementado. Todas as regiões citadas acima fazem parte das Células de Proteção Comunitária, que realizam monitoramento diário.

Questionado sobre quais ruas e avenidas de Fortaleza fazem parte do sistema de monitoramento, a Sesec informou que por questões de segurança não há permissão para expor essas informações. A assessoria de comunicação informou, ainda, que as “ações do dia a dia que são atendidas pelas equipes operacionais são computadas diariamente, porém, não há um filtro definindo se aquela ação específica partiu ou não do videomonitoramento”.

O projeto da Prefeitura de Fortaleza para a Beira Mar conta com a elaboração de duas Células de Proteção Comunitária. O secretário da Segurança Cidadã, coronel Eduardo Holanda, destaca que a soma de esforços da GMF com o auxílio da tecnologia trará mais segurança para as pessoas que frequentam a orla.

O apoio do videomonitoramento tem o intuito de ajudar no combate de pequenos delitos, além de colaborar para a proteção de crianças e adolescentes, que são alvos de aliciamento para o tráfico e uso de drogas.

De acordo com o prefeito de Fortaleza, José Sarto, a iniciativa contribuirá para proporcionar mais segurança aos fortalezenses e turistas. “Com a Central de Videomonitoramento, a Guarda Municipal atenderá ainda melhor a população, reforçando a segurança da Beira-Mar de todos e de todas, esse equipamento fundamental para o turismo e desenvolvimento econômico da nossa Cidade”, afirmou.

Crédito: O Povo

Compartilhe:

Notícias relacionadas
O que você procura?