Venda do Hospital da Bahia comprova entrada de grandes redes nacionais no estado

Foto: Divulgação / Hospital da Bahia

O setor de saúde na Bahia tem sido um terreno muito desejado pelas grandes redes. A aquisição do Hospital da Bahia feita pela Rede Dasa, no valor de R$ 850 milhões, confirma o atual cenário. O Hospital da Bahia registra uma receita líquida anual de R$ 300 milhões, e possui cerca de 300 leitos operacionais. A negociação também abrange a dívida do hospital com a Petros.

A DASA, é a maior na área de saúde integrada do país, já é controladora de laboratórios como Imagem e Leme, bem como a rede Ímpar de Hospitais. Atualmente ela atende cerca de 20 milhões de pacientes por ano.

Além dessa aquisição, também vimos a Rede D’Or adquirir 80% do Hospital Aliança. Vale destacar que a gigante também atua com o Hospital São Rafael e o Centro de Hematologia e Oncologia (CEHON).

Quem também está estreando em solo baiano é a Athena Saúde, que segue expandindo no mercado nordestino. O grupo comprou a Promédica, que tem forte atuação na capital baiana. Com os dois hospitais Jorge Valente, da Cidade e do Subúrbio, somando 233 leitos, dez centros médicos e 86,9 mil beneficiários, a Promédica se consolidou como a maior empresa regional de saúde do Estado.

Por fim, vemos a Mater Dei construindo o maior hospital privado de Salvador. O empreendimento tem previsão de entrega para o segundo semestre de 2022 e irá custar cerca de R$ 500 milhões. Serão 24 pavimentos para atendimento das mais diversas especialidades, incluindo medicina diagnóstica, pronto socorro adulto e infantil, maternidade e oncologia. Além dele, a Rede Mater Dei de Saúde também está construindo, na mesma área, um Centro Integrado de Saúde, com 19 andares.

 

Crédito: Bahia Notícias

Compartilhe:

Notícias relacionadas
O que você procura?